Vidraçaria Ituvidros
HomeEmpresaProdutosServiçosClientes/FornecedoresContato

Serviços - Jateamento de Vidros

O jateamento em vidro é uma técnica que já vem sendo utilizada pelo homem desde o século XIX, mas que a cada ano tem se modernizado e assim oferecido uma gama cada vez maior de possibilidades de formas e desenhos. Veja abaixo alguns exemplos de trabalhos de jateamento em vidro e logo na seqüência uma curiosidade sobre a história do jateamento:

Curiosidade: A história do jateamento

Desde o surgimento do vidro, o homem vem modificando-o na sua forma ou cor, para obter um melhor resultado em sua aplicação final. Para inserir texturas no vidro, primeiramente os artistas utilizaram pontas de diamante, que riscavam o material formando desenhos artesanais de rara beleza. Depois surgiu o jato de areia artístico, que vem experimentando um imenso ressurgimento e que, apesar dos avanços tecnológicos obtidos, ainda depende muito da habilidade do jateador. Ao observar uma rajada de vento contra uma vidraça, em 1870, o americano Benjamin Tilghman descobriu o processo de jateamento por areia. A técnica de trabalhar o vidro, trocando sua transparência pelo aspecto leitoso, surgiu desta observação. Tilghman, concebeu um sistema onde um jato de areia impulsionado por vapor a grande velocidade, limpava e ornamentava lápides de túmulos e também se prestava a criações artísticas em vidros. Logo depois da invenção da máquina, o fenômeno do fosqueamento se alastrou pela Europa, tendo como fonte de inspiração o movimento Art Nouveau. Em 1885, outro norte-americano, Mathewson, aperfeiçoou o invento, patenteando um mixador de ar e areia que substituiu o vapor, pelo ar comprimido. Durante pelo menos 50 anos, esse sistema foi utilizado nas indústrias com o auxílio de escafandro, alimentado por oxigênio, na tentativa de proteger os artistas dos efeitos abrasivos, que continham elementos altamente nocivos à saúde. O risco foi contornado com a evolução das máquinas e dos abrasivos. Segundo Rodolfo M. F. Mason, diretor da Mason & Mason, fabricante das máquinas para jateamento, com os equipamentos disponíveis hoje no mercado, pode-se jatear peças de até 2 metros de largura, por qualquer comprimento sem que o usuário entre em contato com o pó. Toda a operação é feita pelo lado de fora do gabinete. Segundo explica Roberto Flemming, diretor da Copo Belo, empresa paulista que realiza trabalhos de jateamento, a grosso modo, jato de areia sobre vidro, consiste no lançamento de pequenos grãos de abrasivo, a uma alta velocidade, contra a superfície do vidro, o que ocasiona micro lascas, tornando-o fosco total ou parcialmente, de acordo com o efeito desejado. O vidro jateado já teve momentos de grande popularidade em décadas passadas. Atualmente, com a segurança das máquinas, o trabalho tem tudo para ser novamente um grande sucesso, como já vem ocorrendo gradativamente.

Desenvolvimento de Sites